Wednesday, August 22, 2012

INSPIRATION: DATING IN THE ERA OF THE FAST-NET!




What is really dating in 2012? One thing I know: it isn’t for tender babies. The internet inventions, special social networks - Facebook, Twitter, FourSquare, OKCupid and Instagram -make the line between public and private more thinner than ever. So how do you want to maintain a relationship that feels special and uniquely yours, when you shared it with 5,000 Facebook friends?” Even famous people tend to share private photos and tweet their conquests faster than the speed of light. So no wonder relationships have the length of a light’s beam at dawn!


O que significa realmente namorar em 2012? Uma coisa eu sei: Não é para miudos imaturos. A invenção da internet, em especial as redes sociais ( facebook, twitter, foursquare, OkCupid e Instagram) tiraram lugar à ingenuidade nas relações e tornaram a linha entre o público e o privado mais fina de sempre. Como manter uma relação amorosa que deverá ser especial e única para cada um de nós, quando a partilhamos com os 5,000 amigos no facebook? Até os famosos sofrem deste sindrome de confusão entre público e privado e partilham fotos e tweets com os seus fans que nunca  deveriam ter saido da esfera a que eles realmente pertencem. Não é de admirar depois que as relações se noticiem com a velocidade da luz, e que se desfaçam mais rapido do que se twitta o quanto se está/ era feliz.


Jealousy made its tragic damage since the invention of human emotions but now when your lover’s information is always available from everywhere to your fingers, the drama has a huge expansion, and no need of a great imagination is required. Everyone is always one click away from betrayal or being betrayed. I don’t really know if there are more betrayed people than before, but sure it’s easier to find the traitor and the Judas at the same time.

Os ciúmes fazem os seus dramáticos estragos desde que se inventaram as emoções humanas, mas, agora que toda a informação e mais alguma coisa sobre o parceiro está à distância de um click, o drama ganha proporções dantescas e nem é preciso grande imaginação porque na net há profissionais argumentistas perfeitos para inventar a vida dos outros. Não faço ideia se agora há mais traidores e infiéis que antigamente, mas, por certo que hoje é muito mais fácil do que nos anos 70 ou 80, descobrir o traidor e o próprio Judas através de um só twitt de 120 palavras.

So what can you do in order to have a relationship with other person without the lasting feeling of misery? If you don’t want spend all your time asking for doubtful emails, SMS, tweets or so, and get mad when your lover’s iPhone receives a later text message into the night, you can choose between have a relationship only with your dog (cats are much easier to betrayed its owners for freedom), survive alone exclusively with yourself or TRUST! You have to have trust.

Então o que é que podemos fazer para ter uma relação possivel com outra pessoa sem esse permanente sentimento de miserável ansiedade? Se não queres passar todo o teu tempo a espreitar emails suspeitos, SMS de destinatário desconhecido ou entrares em parafuso cada vez que o iPhone do teu parceiro toca a desoras, tens que escolher entre: Ter uma relação unicamente com o teu cão ( nada de gatos que esses são capazes de trair os donos por mais uns parcos centimentros de liberdade); ter uma relação só contigo mesma para a vida; Ou confiar. Tens que ter confiança no teu parceiro ou estás lixado (a).

But it’s not enough to have a true trust in your partner in order to win a medal in the Modern Relationship Olympics. You should have some trust in you to start. You must like yourself first, it’s an old cliché but it usually works pretty well in these dating issues. If you don’t have a good base of self-esteem and self-respect, the relationship could easily turn darker than announced storm clouds. And what remains from your love are merely an extinct volcano’s ashes faster than a tweet announcing it.

Mas, infelizmente ter confiança no teu parceiro parece que não chega para ganhares uma medalha nas Modernas Olimpiadas dos Relacionamentos. Para começar tens que ter confiança em ti próprio. Se não gostas de ti mesmo não há nada a fazer. "Ama-te a ti mesmo e só depois poderás amar o outro" pode ser um cliché velho e gasto mas que funciona perfeitamente quando se trata de relações amorosas. Se não partes de uma boa dose de auto-estima e respeito próprio, a relação facilmente se pode tornar mais negra do que as nuvesn que anunciam tempestades. E o que restará da tua paixão não passará de cinzas de um vulcão, extinto mais rapidamente do que twittas o seu anúncio.

We live in the Era of fast-everything even fast-dreams, and of course fast-love. So the faster more disposable and this state of mind really brand modern relationships. People have no time to spend in fix things, it’s easier and faster to discard and replace them immediately.

Vivemos na Era do fast-food e do fast-quase-tudo... até dos fast-dreams e claro do fast-love. Depressa e para ontem é a marca que comanda as nossas vidas. E a velocidade com que dispensamos aquilo que nos deixou de interessar é ainda mais rápida que a da luz. É este estado de espirito que preside às relações modernas. As pessoas deixaram de ter tempo para reparar objectos e emoções, é mais fácil descartar-las e substitui-las por outras.

If you want a great advice keep your relationship offline. You should have so much interesting things like trips, books, music, films, exhibitions, writing, things you love and love to share with your public that are not friends of yours for sure. Most people in facebook and similar don’t care about if you are or aren’t ok. They are perfect voyeurs disguised as friends, and some of them (and you don’t really know who) have jealousy of your life that seems perfect to their eyes and compared with their empty lives. You must be always suspicious about people that spend all entire life night-and-day in the internet because they don’t get a life; they need to get other’s lives in order to be unhappy and that pleased them. They are like parasites and they feed of other’s posts special if they are private posts. So when you notice that your relationship is over, your public of 5,000 false friends (or the most part of it) celebrate that in order to feel less unhappy or lonely. They are professional of gossip.

Se queres um bom conselho mantêm a tua relação offline. Deves ter um milhão de coisas para partilhares com os teus amigos do facebook o ou para criares Pins como viagens, livros, filmes, exposições, escrita ... coisas que gostas e adoras partilhar. A maior parte dos nossos amigos virtuais estão-se nas tintas para se tu estás bem ou não. Muitos deles são pessoas com vidas vazias reinventada através de milhares de posts e twits por dia. Por isso desconfia sempre de alguém que encontras permanentemente online porque é sinal que não deve ter uma vida por aí além. Por outro lado, na net podemos ser quem quisermos e acredita há por aí muita gente que deseja ser outra pessoa diferente do que é. São essas pessoas que ao género parasita se alimentam de posts e twitts da vida privada dos outros que adoram bisbilhotar.

Whether we like it or not, we love each other in a digital age now. Our temptation to play mind games, enforce deal breakers, and have an overall lack of trust is stronger than ever. However, it’s best to keep those temptations at bay. Maintaining a successful relationship is always going to require some effort that evolves mutual respect and trust, something like a curt text message or a doubtful photo won’t be enough to endanger it.

Quer gostemos ou não, nós amamo-nos na era digital. A tentação para fazermos jogos da mente, forçando a quebra de promessas, e termos por isso uma falta crónica de confiança é mais forte do que nunca. Pelo que é preferivel manter essas tentações ao largo. Manter uma relação de sucesso sempre necessitará de algum esforço de confiança mútua e respeito, algo sólido que não poderá ser desfeito por uma simples mensagem duvidosa.









No comments:

Post a Comment