Wednesday, July 9, 2014

INSPIRATION: CHANEL COUTURE FALL/WINTER 2014-15




O meu recente corte de cabelo é excelente para recriar este look do último desfile da Chanel. É preciso vir o Karl para nos ensinar a usar chapéu com cabelo curto. COOL!




 
 

DIOR COUTURE FALL 2014 : IS COUTURE GETTING CLOSER OF LIFE?






No desfile de alta costura da Dior que aconteceu ontem em Paris, Raf Simons afirmou aquilo que já se vinha a desenhar no futuro da 'Couture': O tempo em que a alta costura estava completamente divorciada das pessoas e se confinava ao restritissimo mundo de algumas atrizes em noite de Óscares e de umas tantas esposas do petróleo, já lá vai... Simons mostrou com esta coleção que também a alta costura tem que sair do seu pedestral de inacessibilidade e do pódio das ocasiões muito, muito especiais para integrar o closet dos acontecimentos especiais do dia-a-dia. Não passa pela cabeça de ninguém (ainda) ir trabalhar com um look de alta costura da Dior, até pelo seu preço inalcançável para o comum dos mortais, mas, o importante é que num mundo perfeito isso já seria possível, incluindo andar de metro ou de bicicleta com um desses modelos. É claro que não vamos ter "cópia" destes looks na Zara mais próxima e que felizmente o luxo que é verdadeiro luxo não anda por aí nas Primarks desta vida. É graças à alta costura que a moda me faz sonhar e que aproxima esta da mais bela das artes... Nos dias em que não tenho nada em que pensar e que a vida corre o risco de se tornar demasiado monótona, gosto de fechar os olhos e imaginar um mundo de princesas vestidas com Dior a andarem de bicicleta ou a caminharem na 5ª Avenida.

Ainda que continue muito longe de nós, Raf Simons tornou o luxo um pouco  mais impossivelmente acessível, o que é diferente do que era antes - algo possivelmente inacessível!     

 




 
Mais imagens AQUI
 
 

Wednesday, June 4, 2014

INSPIRATION: BACK TO BASICS ... OR MAYBE NOT!







Todos sabemos o valor do(s) básico(s), sejam peças de roupa, tendo como expoente máximo a t-shirt branca e os jeans,  acessórios, como sejam uns pumps pretos ou uma carteira (tipo) Chanel,  ou produtos de beleza como o Nivea da latinha azul. São eles que nos salvam em diversas ocasiões, e sobretudo naquelas manhãs de neura em que asseguramos com os dentes todos que “não-temos-nada-para-vestir” defronte a um caótico roupeiro apinhado… de nadas. Sendo que os básicos estão para a nossa vida como os bombeiros para as florestas estivais, isso não quer dizer que nos contentemos com eles para toda e qualquer situação. Não há nada mais monótono que uma pessoa que só usa básicos quer esteja a trabalhar, a laurear a pevide ou no tapete vermelho.   Nem só de LBDs ( Little black dresses)deve viver a mulher e os mais básicos podem ser muito sexy mas se usados em conjunto com acessórios certos que devem ter “statement” escritos na cara. Esta é a regra básica do estilo!

Para mim não há nada mais insultuoso que chamar “básica” a uma mulher. Isso significa de imediato alguém completamente destituído de imaginação, sem energia, extremamente aborrecido e que foge do risco como o diabo da cruz. Se uma pessoa se contenta com o básico jamais saberá o sabor do extraordinário. Há gente que passa a vida a tentar parecer o mais normal possível, desconhecendo em absoluto a adrenalina de pisar o risco de vez em quando. Quem usa sempre a porta esquece que sair pela janela também pode ser uma solução mesmo que não seja em estado de emergência. Pisar a erva em vez do caminho dá outro prazer à caminhada… e ir pelos atalhos faz-nos descobrir novos e inusitados caminhos. Quantas vezes a solução não é encontrada quando mudamos a perspetiva dos factos. Olhar para a paisagem de sempre de forma diferente é uma forma de viajarmos sem sairmos do mesmo sítio.

Reconheço que é preciso alguma coragem para sair de casa vestida de encarnado, laranja e rosa com uns sapatos amarelos, mas, quem o faz com convicção e ultra-confiança acaba por ser seguida e assim inaugurar tendências. Quem desbrava caminhos corre o risco de ser considerada insana, mas, viver sempre dentro dos limites apertados da normalidade não passa de uma sombra, ou pior de uma sombra beije contra uma parede branco sujo.

Uma mulher básica consome episódios do Sexo e da Cidade como se não houvesse amanhã para se sentir uma moderna urbana, bebe café com leite e pão com manteiga desde sempre ao pequeno-almoço ignorando sucessivamente as ementas alternativas, compra sempre o mesmo tipo de roupa em diversas cores primárias e pensa que as tatuagens e os piercings são usados só por gente de má vida ou pelas gentes do espetáculo que são uma e a mesma coisa. Passar despercebido é o seu único lema de vida e acham que vestir de preto total é demasiado berrante. No oposto da mulher básica há a mulher exuberante que não passa de uma básica com roupa demasiado decotada e curta e justa, ou seja, que usa roupa básica dois números abaixo do que devia.

Reconheço que não é fácil termos que passar a vida a fazer escolhas em vez de mastigarmos as escolhas pré-cozinhadas e testadas por outros que julgamos iguais a nós. Seguir o rebanho dá muito menos trabalho que ser a ovelha tresmalhada que põe tudo em causa, desobedece ao pastor e se sujeita a levar dentadas dos cães de guarda. Ser o centro das atenções não é para todos e alguns, após conquistarem os holofotes, diluem-se como o barro cru depois de uma chuvada. Ser-se extraordinário é em si algo extraordinário, tal como assumirmos a vida pelos cornos em vez de fugirmos do primeiro bezerro que corre atrás de nós. Uma pessoa superior não é aquela que se julga mais ou melhor que os outros. É a que segue o seu caminho sem se preocupar com o que os outros pensam e que, sobretudo, tem essa capacidade de se rir de si próprio. O sentido de humor, o prazer de viver e o gostar do que se tem e do que se é são condições essenciais para se ir para além do básico em rumo a algo extra.

Os básicos adoram dar conselhos aos outros que não são básicos, têm até uma certa necessidade de superproteção dos não básicos por julgarem que eles são caóticos, com tendência para a adição e sem capacidade para fazer escolhas corretas na vida. Porque para os básicos tudo o que seja escolher fora do catálogo é correr riscos desnecessários. Eventualmente, até são boas pessoas, discretas que falam sempre baixinho no mesmo tom de voz indefinido mas que se preocupam sinceramente com os seus semelhantes, sobretudo, com os tresmalhados da norma. O problema é que acabam por incomodar os mais criativos e interessantes, a ponto de estes evitarem o seu convívio mais íntimo. É por isso que os básicos só se dão com os básicos, formando uma enorme mancha de fundo cor de gente.

Básicos e não básicos têm abordagens muito diferentes dos mesmos factos da vida. Os básicos vão ao McDonald’s, os não básicos vão à hamburgaria do Nald’s. Para os básicos uma quebra na rotina é uma contrariedade, para os não básicos é uma festa e há que comemorar e quebrar a rotina de novo. Mas, é no drama com que a vida por vezes nos brinda que melhor se distinguem os básicos dos outros. Num azar, na doença, no desemprego, na morte um básico fica paralisado à espera que as coisas se resolvam ou que alguém “mais qualificado” lhe resolva os problemas. Não raro dão-se ao pessimismo básico e fazem o papel básico da vítima coitadificada. Os não básicos chutam a vida para a frente, vão à luta e desbravam oportunidades com as experiências, mesmo com as mais negativas aprendem sempre qualquer coisa e não desistem nem deixam os que os rodeiam vitimava-los. Estão habituados a correr riscos e a ultrapassarem a fronteira da sua zona de conforto, pelo que estão mais bem preparados para os desaires da existência. Têm a noção que a verdadeira vida começa sempre após conseguirem passar essa zona de conforto que os básicos necessitam como de oxigénio.

Se tiver que escolher é óbvio que prefiro passar a vida rodeada de não básicos, ainda que tenha verdadeiros amigos básicos. E como em tudo os básicos fazem parte da paisagem e são importantes. Por vezes, temos momentos na nossa vida que sabe bem ser básica, não pensar muito e vestir uns jeans com uma camisa branca e um blazer preto. O básico pode ser bastante elegante e confere-nos a segurança de não termos que enfrentar o risco em determinadas situações que nos fazem sentir mais inseguras. Se seguirmos o básico não há que enganar e ficamos bem em qualquer situação. O instinto pode ser bastante básico e todos sabemos como o instinto é importante para nós mulheres. O risco é limitarmo-nos ao básico e vivermos uma vida pautados pela mediania quando podíamos ser extraordinários e capazes de feitos espetaculares que só não somos porque temos pavor de sermos colocados à prova como seres humanos completos, autónomos, com iniciativa e como seres criativos únicos com a extraordinária capacidade de abstração e reinvenção.      




Tuesday, June 3, 2014

INSPIRATION: TRIBAL


 
 
 

 
 
 

Excelente editorial da Harper's Bazaar, Japão, Junho de 2014, de Hans Feurer, com styling de Mika Mizutani.

Mais aqui...

Friday, May 30, 2014

INSPIRATION: FAST SHOPPING - The New Revolution in Shopping!

Já pensou o que seria poder comprar uma peça de roupa ou um par de sapatos diretamente de um anúncio numa paragem de autocarro, numa revista de moda ou de um poster numa mesa de um café? E se essa operação só levasse uns escassos segundos entre escolher o produto e clicar num smartphone? Apaixonou-se por aqueles sapatos lindos de morrer que viu num outdoor? Em menos de 30 segundos eles podem ser seus e chegarem ao seu closet em 2 dias... isso agora já é possível com o novo conceito de fast shopping que faz de qualquer local (mesmo) uma montra.

Veja a demonstração no video abaixo:


Monday, May 19, 2014

INSPIRATION: LOUIS VUITTON RESORT 2015 FASHION SHOW (FULL)



Foi no Sábado passado, no Mónaco que Nicholas Ghesquière apresentou a sua segunda coleção para a Louis Vuitton que pode ver AQUI.

Adorei o jogo de cores e padrões dos looks, numa explosão de luxo, pretensiosamente acessível, em contraste com a mulher de uma elegância austera da sua primeira coleção sob a égide da supercasa Louis Vuitton. A incursão na silhueta flare dos anos 70 continua em alta, com calças que fazem parecer as pernas infinitas e que já tinhamos visto em Balenciaga. Há um maior ecletismo nesta Resort em relação à anterior (Fall), como resultado de uma maior descontração por parte de  Ghesquière ou, talvez, porque uma coleção Cruise não tem o peso de uma coleção principal. Já esperamos com ansiedade as cenas dos próximos capitulos na Casa Vuitton.

 





                                                                                     


 

Wednesday, May 14, 2014

INSPIRATION: FILIPE FAÍSCA AW 2014-15 AD CAMPAIGN


 
 
A campanha do Filipe Faísca para a coleção Outono/Inverno 2014-15 está espetacular! Sob as lentes de Ricardo Santos e com styling de João Pombeiro, Marlon Nicolau, Flor e o próprio João Pombeiro que aparece numa ousada foto vestido unicamente com um arnês, a campanha tem uma ironia deliciosa, incluindo a imortalização da queda de Flor na passerelle da modalisboa. Fantástico!!! 






Monday, May 12, 2014

INSPIRATION: AVOCATO AND EDAMAME SALAD





Recentemente fui apresentada aos grão de soja verde (edamame), que mais não são que grãos de soja antes de amadurecerem. Encontrei-os junto ás ervilhas congeladas no supermercado e resolvi experimentar. Para cozinhar nada mais fácil... colocam-se em água a ferver com sal.

Para esta salada precisam de:

- Um saco de grãos de soja verde dsecongelados
- alho picado
- uma colher de chá de gengibre fresco ralado
- 2 colheres de chá de mel
- 1/4 de chávena de vinagre de arroz
- 3 colheres de sopa de azeite
- sumo de 1 limão
- sal e pimenta fresca q.b.
- cebola picada
- salsa fresca picada
- 1 abacate maduro
- rabanetes às rodelas
- sementes de sésamo

Colocar os ingredientes numa tigela e temperar a gosto.

Bom apetite!

Thursday, May 8, 2014

INSPIRATION: EX- HUSBANDS AND SO...

A Claúdia Marques não tem papas na lingua... numa época em que é cada vez mais raro as pessoas dizerem o que pensam sem rodeios e defenderem as suas opiniões próprias com a emoção à flor da pele, era inevitável que a autora do blog "Contos com Amoras" me despertasse esse desejo intenso de a querer como amiga. Não tenho por hábito partilhar este meu espaço com hóspedes, ainda que temporários, mas, com a Cláudia apeteceu-me...
A escrita dela flui naturalmente, é um prolongamento dela própria, do seu sorriso, da sua vida quotidiana, da forma clean que ela tem de encarar as coisas, dos seus sentimentos e inspirações. Deixo-vos o texto, o convite a visitarem o seu blog AQUI... e a descobrirem a razão do seu sucesso na  competitiva blogosfera em tão pouco tempo...



Ex-maridos

Só o termo provoca arrepios em algumas pessoas. Quando alguma coisa que era, deixou de ser, suscita sempre a curiosidade de todos. Aquela curiosidade natural, meia voyeurismo que, no fundo, não é mais do que querer saber da vida dos outros. Sobretudo quando o termo ex se aplica a uma relação. Se falarmos de um professor, ex-professor, de um carro, ex-carro, um vizinho, ex-vizinho, as antenas não ficam sintonizadas. Mas se dissermos ex-marido, ex-mulher, ex-amiga, ex-namorado/a, ui, ui! Aí os radares ficam de tal forma em sintonia que até são capazes de localizar o avião da Malasya.

Mas eu, pecadora, me confesso. Ao contar-vos um episódio que tive com o ex-marido de uma amiga minha. Primeiro, ela é que é minha amiga. Não ele. Só aqui já dá para ver o meu ponto de vista. Segundo, encontrei-o com a sua nova mulher (a principal causa da separação) e com os seus novos filhos, fruto da traição. Pronto, já disse tudo o que queriam saber! J

Foi inevitável! Apreciar a nova família feliz. Apreciá-lo, neste papel que não é novo, pois já tinha sido casado e já tinha filhos. Do casamento. Tentar perceber a mais-valia do abandono de uma situação para viver outra completamente igual. Não fazer comentários. Fundamental! Lidar com a situação com a maior naturalidade possível. Mas, na verdade, depois de tanto tempo, depois da sua postura, pois também se divorciou dos amigos, perderam-se coisas… e a naturalidade ficou um bocadinho condicionada. Eu esforcei-me. Juro! (tenho a mão direita levantada)

Falamos, quando nos vemos. Já nos tínhamos cruzado. Mas assim, em família, foi a primeira vez. E eu, que não sou de intrigas, digo-vos uma coisa: os homens são mesmo previsíveis. A outra, a nova mulher dele, é i-g-u-a-l à minha amiga. IGUAL! Acreditam? Nem mais gorda, nem mais magra. Nem mais alta, nem mais baixa. Nem mais loura, nem menos morena. Igual! Fisicamente!

Claro que a cumprimentei. Claro que fiz conversa de circunstância. Mesmo porque com crianças à volta há sempre o que dizer. Mas confesso, fiz um esforço enorme para ouvi-la. Enorme! Não se ouve. Tem uma voz sumida. Acriançada. Submissa. E, aqui, encontrei a diferença. A minha amiga faz-se ouvir. A sua presença é notada. Dada a uma boa fundamentação. Vive a vida com emoção.

É claro que a minha amiga, para mim, será sempre uma heroína. Uma mulher que é trocada por outra, da noite para o dia, com dois filhos pequenos nos braços, deixa qualquer uma de nós de rastos. Pensar na situação. Imaginar que poderia ter sido connosco. Quem passou pelo mesmo, reacende as memórias. Quem não passou pensa que não está livre disso. Surgem muitos pontos de interrogação.

Mas superar um divórcio, quando não é de acordo mútuo, não é fácil. O investimento para que o casamento ou relacionamento dê certo é muito grande. Acompanhado de uma grande expectativa de resultados. É o acreditar que connosco será diferente. O que sabemos, à partida, não ser fácil. Mas testamo-nos. Ao tentarmos. E desiludimo-nos. Quando falha. Agora, superar um divórcio em função de uma traição… penso que a dificuldade será muito maior. Além do aspecto emocional, há um preconceito social. Atiça familiares e amigos. Fragiliza as emoções. Obviamente, para quem considere a infidelidade algo que vai contra os seus próprios princípios. Mas, ainda assim, saber que se é trocado por outra pessoa...

Não foi nada comigo, mas ao olhar para o ex-marido da minha amiga, levanto questões. Será que, no caso dele, falou mais alto o seu ego? Apenas isso? Será que é da sua natureza trair e que, mais tarde ou mais cedo, irá fazer o mesmo à nova mulher? Será que a nova mulher dele não tem medo que ele bata com a porta e a deixe com os filhos nos braços, tal como fez anteriormente?

É que, neste caso, não se tratou de uma escapadela. Não houve oportunidade para reflectir sobre o assunto. Ele não deu espaço, nem tempo, nem lugar à discussão. Nem quis saber de preparar o terreno. Pura e simplesmente, saiu. De casa. Da noite para o dia.

Choveram palpites. Teorias. Histórias. Sugestões. Que nada acrescentaram à experiência de quem, de repente, fica sem trapézio. Com os planos a meio. Com o caminho por fazer. Com as despesas correntes nas costas. Com a casa e o carro. Com os filhos, sem perceberem, porque é que o pai não está em casa. Pois até para isto são precisas duas pessoas. As explicações devidas devem partir dos dois. Mesmo porque a minha amiga nem tinha como explicar o quê. Nem ela sabia bem o que se estava a passar.

Apreciei-o. De alto a baixo. Mais velho, claro. Mais gordo, claro. Mais descuidado, claro. E ela, a nova. Simpática, claro. Mas não se ouve... pelo menos na rua. Em casa, não sei. Pois uma mulher que não se faça ouvir, meus queridos… Das duas uma: ou é mesmo muito esperta e tem-no na mão sem ele perceber ou vai-se calando e calando e calando, até ao dia em que perde a voz. De vez. Não sei. Talvez seja disso que ele gosta…

E não me venham falar de amor. E blá, blá, blá… Que alimenta a alma. Que move montanhas. Ou que é disso que as pessoas vivem. Amor, amor? Amor por alguém? Sim, sentimo-lo, verdadeiramente. Mas não permanece em nós para sempre. Esse amor. Talvez paixão. Ardor. Fulgor. Que se vai como veio no bico de um condor.

Como diz um amigo meu, advogado:

O casamento é um contrato. Se houver amor, melhor.
 
Claúdia Marques

Wednesday, May 7, 2014

INSPIRATION: WIDE LEG PANTS AND FLATS





Como não tenho propriamente um dress code no meu trabalho, só tenho como limites as regras do meu próprio estilo e do bom senso que me impedem de ir para o escritório com looks de praia. Por isso, ando sempre a procurar algo trendy, estiloso e, sobretudo, confortável sem ser demasiado relaxado. Tudo com equilibrio e sobriedade, mas, sem sem ser aborrecido como uma farda.




Por isso introduzir as sandálias (tipo) Birkenstock num look de trabalho pareceu-me à partida impossível e arrumei o assunto para pensar mais tarde, eventualmente, nos saldos a preços bem reduzidos. Mas, cada vez mais me convenço que é tudo gira à volta do styling. Estes exemplos que mostro nas imagens, tornam possivel a dupla calças wide-leg com flats/ sandálias rasas e ficarmos perfeitamente elegantes para ir trabalhar, se o clima no escritório for criativo e descontraído. É tudo uma questão de balançar os acessórios e apostar em algo mais clássico para o resto do look.   




                                                                              
 
Photos Style.com                    

Saturday, May 3, 2014

INSPIRATION: FRESH AND EASY FOOD AFTER A BEACH DAY!





Depois de um fantástico dia de praia - o 1º do ano - nada melhor que chegar a casa, tomar um bom duche, hidratar a pele e o cabelo, colocar uma roupa easy going e abancar no jardim em redor de uma mesa cheia de pratos coloridos e saborosos. Para mim esta é das definições mais perto de felicidade que conheço!






Estas saladas foram confecionadas em pouco mais de meia hora, sendo que o truque é já ter os legumes e as frutas descascados e lavados, devidamente acondicionados em sacos no frigorifico, depois é só misturar e temperar com muita imaginação e segundo a inspiração ( e os apetites) do momento.







A salada das primeiras duas imagens tem uma panóplia de legumes que vai da beterraba, ao agrião, rúcula, tomate cherry, pimentos miniatura amarelo, laranja e vermelho, aipo, couve roxa, miolo de camarão, limão e maçã verde.Na hora do tempero é só deixar fluir o paladar e misturar ervas aromáticas e especiarias sem exagerar. 

A 3ª imagem é a clássica tomate cherry + queijo fresco ou mozarella + rúcula + tempero que passa por muito azeite e ervas aromáticas onde não pode faltar o mangericão para perfumar a salada. 



  

Esta última imagem já é uma salada mais elaborada pois exige que os legumes sejam salteados em azeite, cebola e alho, assim como os cogumelos laminados. Ainda assim muito fácil. Para cortar o sabor forte da cebola e do alho juntei maçã verde, limão e uma pitada de canela (descobri que a canela misturada com outras especiarias dá aquele toque exótico e que é uma pena só ser usada tradicionalmente em doces). 

Et voilá! Um almoço ideal para um dia de calor após os banhos de sol e mar... para rematar uma fatia de melão ou melancia... THE HEAVEN!


Fotos de Joao Lamares Photography

Wednesday, April 30, 2014

INSPIRATION: PRADA'S ANIMATED COMICS


... com Léa Seydoux.

 
 
 
 
 
 





 

INSPIRATION: ALL YOU NEED IS... A GOOD BREAKFAST TO START THE DAY WITH A SMILE.




IOGURTE NATURAL C/ COCO, CARDAMOMO E MUESLI CASEIRO

- Iogurte natural
- Leite de coco
- Polpa de coco
- Água de coco ( pode ser Luso água de coco)

Misturar bem num copo misturador o iogurte e o coco.

Para o Muesli:

- Flocos de trigo serraceno (pre-cozidos ou demolhados)
- Flocos de aveia (pre-cozidos)
- Amendoas com pele aos pedacinhos
- Flocos de quinoa
- sementes de abóbora
- uvas passas/ tâmaras/ passas de figos/ameixas secas
- Raspas de cacau em barra a 85%
- Cardamomo (uma c/café)

Misturar tudo com mel.

Colocar o batido de iogurte numa taça, polvilhar com muesli caseiro e servir com pedaços de ananás natural.

Tuesday, April 29, 2014

INSPIRATION: AN HEALTHY SNACK - MADE YOUR OWN CEREAL BARS




As barras de cereais são dos alimentos disfarçados de "saudáveis" mais enganadores. Na maior parte dos casos, vendem a ideia  de shots de multicereais e frutos secos, mas, são uma autêntica bomba calórica, cheia de açúcares refinados, xaropes de glucose, gorduras saturadas e aditivos. Leiam antentamente a composição e depois digam-me... há barras de cereais que têm mais açúcar que uma garrafa de litro de refrigerante.

Mas, a ideia é muito boa, mas, se só contivessem os tais ingredientes saudáveis que apregoam...
Assim, porque não fazermos as nossas próprias barras? ( e já agora o nosso próprio muesli porque esse é outro tipo de alimento vendido pelo marketing como hiper-saudável e é tal e qual como as barras, desde as marcas mais banais até ás que se vendem em mercados bio e Celeiros, têm mais hidratos de carbono ( dos quais açúcares) que os chocapics e afins.)

Esta receita é super-fácil e realmente saudável, sem subterfugios e ótima para o nosso lanche e dos nossos filhos ou para comer na praia, num passeio ou numa ida ao ginásio... e deliciosa.





BARRAS DE CEREAIS COM FRUTOS SECOS QUINOA E CEREJAS

. 2,5 copos de flocos de aveia pré-cozidos;
. 1/4 chávena de quinoa;
. 1/2 chávena de amendoas com pele;
. 3/4 de chávena de nozes picadas;
. 3/4 de chávena de cerejas secas;
. 1/4 de chávena de mel;
. 1/2 chávena de açúcar mascavado ou açúcar de coco;
. 1/2 de chávena de óleo de noz;
. 1 colher de chá de sal marinho integral

Preaqueça o forno a 325 °.
- Prepare uma assadeira  '13 × 9'  com papel vegetal, certificando-se de que está impregando com o óleo de noz completamente ( ou se o papel já possui manteiga previamente).

- Numa panela pequena, em fogo baixo, misture o mel , o açúcar mascavo, o óleo de noz e o sal.
 
- Enquanto isso, numa tigela grande, misture a aveia, a quinoa, as amêndoas, as nozes e as cerejas.

- Depois de bem misturados os ingredientes secos coloque o conteúdo da tigela numa panela grande e  despeje a pasta com o mel e o açúcar  sobre a mistura seca.

- Usando uma espátula resistente ao calor, mexa muito bem as duas misturas.

- Despeje a mistura resultante na assadeira e pressione levemente para garantir uma superificie lisa.

- Asse 10 minutos. Vire a mistura e continue a assar até que as bordas estejam dourados, cerca de 15 minutos a mais.

Despois é só cortar em pedaços a gosto. Guarde cada pedaço em papel vegetal no frigorifico. Dura várias semanas.


blog.freepeople.com

Monday, April 28, 2014

INSPIRATION: THE NEW KIND OF YUPPIES - THE MUPPIES!


Ela veste peças da Zara misturadas com bolsas Louis Vuitton e sapatos Manolo Blahnik.  Num ímpeto de ousadia, talvez, a vejamos num casaco Prada, embora diga que é apaixonada por  upcoming labels como Marques’Almeida para elevar o nível de coolness. Ela faz questão de tomar café proveniente do comércio justo, todas as manhãs antes de ir trabalhar para uma popular financeira anunciada na TV. Ela é fã de bagas goji que petisca à laia de snack, enquanto blogga no mínimo de 30 minutos por dia. Fanática dos sumos verdes e programas detox, considera a carne vermelha e as gorduras trans a explicação para o aumento da violência urbana . Quando acabou o curso em gestão com alta média, os pais pagaram-lhe um shot intelectual de história da arte que foi tão-só o pretexto para ir passar 6 meses a Nova Iorque, onde se inspirou em histórias de vida sobejamente vistas anteriormente n’O Sexo e a Cidade e que agora quer a todo o custo reproduzir na cidade onde vive, já que não teve a sorte de ficar nas suas cidades de sonho NY/ LA/L.

Depois, de passar em revista os seus blogs favoritos e de alimentar o seu próprio blog, passa cerca de 60 minutos do seu horário laboral a pensar em como as suas capacidades estão subaproveitadas naquele emprego e na raiva que sente em ter que cumprir ordens de miúdos  acabados de sair das faculdades privadas e pertencentes ao clube dos “Jotas” dos partidos empregadores. Em seguida, o seu pensamento foca-se no que irá almoçar, enquanto explora destinos de viagem para as próximas férias, com o firme objetivo de passar um mês a tentar encontrar-se a ela própria, certamente inspirada em livros de autoajuda e em best sellers como “Comer, Orar e Amar”. 

Apesar de não gostar de rótulos, não desdenha a cultura Yuppie dos anos 80, segue os mesmos ideais de sucesso, status e poder, com a diferença que o objetivo é ser absolutamente “Cool” e sustentável. Aficionada de comportamentos ecológicos e conscientes, com grandes causas com Africa como cenário, o seu discurso é uma espécie de frases articuladas pela Miss Universo com letras dos Pixies e máximas dos grupos alternativos ecofriendly mais radicais, mas, trocando as old school Birkenstock pelas cópias new age by Isabel Marant.

Ela frequenta o ginásio c/ SPA mais luxuoso dos subúrbios. O seu personal trainer, com quem fala mais do que com a própria mãe, tem o estatuto de exclusividade com direito ao seu número de telemóvel pessoal e acesso direto ao seu perfil não profissional do Facebook  e Twitter. O mesmo acontece com a sua coach de nutrição funcional. Não mete uma uva à boca sem trocar inúmeras impressões com ela, e tem sempre grandes dúvidas sobre rótulos alimentares não economicamente sustentáveis. Não se coíbe contudo de comer cerejas de Cuba no Natal ou peixe rico em ómega 3 pescado nas profundas águas do Alasca, desde que lhe garantam que faz bem à pele ou simplesmente porque lhe apetece.

A maior aspiração dela é fazer (muito) dinheiro mudando o mundo.

Mas, tem sempre um Plano B que pode bem passar pelo casamento com o chefe sub-35 que entretanto concorreu a um alto cargo elegível no partido que o viu nascer. Ela é uma mulher prevenida, pelo que o Plano C é ficar adepta do baby boom, com o baby mais promissor lá do escritório que sonha vir a arranjar um emprego  na Wall Street. Não é que ela tenha um gosto particular por criancinhas, mas, alguém tem que vestir as roupinhas que o Karl Lagerfeld desenhou para os mini-Chanel. De repente, já nos 40 sonha ser vista durante o dia a passear com a trupe overdressed nas avenidas onde as lojas de luxo dão um ar de sua graça. Afinal, tem que fazer valer o sacrifício de casar com o gajo que primeiro lhe arranjou um Visa platina e lhe ofereceu uma viagem em 1ª classe ao Dubai no dia do seu 39º aniversário.   

Ela é a digna representante do novo feminismo...

Ela é talvez das pessoas mais inteligentes e talentosas da sua geração, mas, acha que passar os dias num escritório com vista para sedes de bancos não é absolutamente nada cool, para além de que o ar condicionado encarquilha… Ela é assim a representante digna de um novo feminismo do seculo XXI que usa o capital erótico, essa combinação demolidora entre a sedução física e o magnetismo social, como arma para subir na vida. As novas feministas como ela esforçam-se por adquirir conhecimentos e ao mesmo tempo em conseguir um look irrepreensivel. Ela defende, no seu blog com milhares de visitas por dia, que o charme constroi-se e ter uma aparência enérgica é meio caminho para o sucesso. Ir ao cabeleireiro e comprar roupa são investimentos racionais, jamais uma perda de dinheiro. Elas são eximias em explorar as fraquezas dos homens. De resto a vida nunca foi justa para ninguém e nesse campo batem-se em pé de igualdade com eles que usam a sedução desde as cavernas, para obterem das fémeas o que querem. Ela é admirada, por motivos bem diferentes, por homens e por mulheres que a seguem nas redes sociais exaustivamente, assim como as suas máximas de que a aparência e o estilo são ditados pelo esforça e pela dedicação e não pela genética. Para aliviar a consciência dos outros, mais do que a dela,  dedica-se a causas sociais enquanto o marido se entretem a financiar star-ups de filhos dos amigos.  

Ela é uma MUPPY - a Millenial-Yuppie hybrid.
 


                 

Friday, April 25, 2014

INSPIRATION: AN AFTERNOON SNACK



blog.freepeople.com


Apesar de ser feriado - hoje comemora-se a Revolução dos Cravos que foi à 40 anos - tenho que ir trabalhar daqui a poucas horas. Ser coordenadora cultural tem destas coisas, em dias de diversão há que garantir que os outros se divertem e que corra tudo bem.

Mas, isso não quer dizer que logo mais a diversão não se espalhe cá por casa... apesar de termos o membro mais velho da família de cama com gripe, a festa da Liberdade continua... sob a forma de petisco sem prescindir da parte saudável, já que o doentinho precisa de recuperar a energia.

Assim, para o lanche tardio ao pôr-do-sol na Serra de Sintra, aqui vos deixo uma inspiração que já está à á de espera no frigorifico cá de casa.

HUMMUS COM BATATA DOCE E CHICÓRIA

. 2 chávenas de grão de bico  cozido
. 1 batata doce assada descascada
.  1/4 de chávena de tahini (pasta de sésamo ou gergelim) - tenho uma que comprei no Martim Moniz mas já ouvi dizer que existe uma boa no Pingo Doce. 
. 1 cc de sopa de sumo de limão
. 2 dentes de alho picado
. 1 cc sopa de azeite
. 2 cc chá de cominhos
. 2 cc chá de ras al hanout* (* 1/2 colher de chá de canela, 1/2 colher de chá de coentro, 1/4 colher de chá de açafrão, 1/4 colher de chá de colorau, 1/4 colher de chá de cardamomo, 1/4 colher de chá de pimenta caiena. )
. 1/4 de cháv de amendoas fatiadas
. 1/4  de chicória picada

Num copo misturador combinar o grão de bico, tahine, suco de limão, alho e azeite até se obter uma pasta grossa. Adicionar a batata doce, cominho, ras al hanout* e uma pitada generosa de sal e pimenta. Antes de servir colocar topo do hummus a pimenta moída na hora, um toque de azeite, as amêndoas e a chicória. Servir com bolachinhas salgadas ou tostas e talos de aipo. I LOVE IT!

 

INSPIRATION: STRAWBERRIES AND AVOCATO TACOS

blog.freepeople.com


Cá em casa está aberta a época dos morangos, pelo que há que tirar o maior partido possível desta maravilhosa fruta, para além do óbvio - as sobremesas.

Desta vez os morangos são a estrela do petisco principal que soube divinalmente, ao sol do meu jardim com uma cervejinha mexicana com limas a acompanhar.

Tortilhas de Morangos e Abacate com verde pimenta-jalapenha ( México) 

. Pica-se uma taça de morangos;
. Corta-se 1 abacate em cubos;
. Picam-se finamente as folhas da pimenta-jalapenha
. Corta-se uma cebola em fatias finas;
. Um punhado de coentros ou salsa;
. Sumo de um limão e de uma lima
. Sal e pimenta acabada de moer

Misturam-se todos os ingredientes numa tigela e enrolam-se as tortilhas. Fácil, mais fácil não há!!!

Bom apetite!

Inspiration: blog.freepeople..com

Wednesday, April 23, 2014

INSPIRATION: SWEET IN PINK!





Aqui fica a receita da minha sobremesa, linda de morrer, deliciosa como só ela e baixa em calorias 0% de gordura e sem açucar adicionado. VOILÀ!

ESPUMA DE MORANGOS COM FRAMBOESAS E GRANOLA

- Para a espuma de morangos vais precisar de 200 gr de morangos, 4 colheres de sopa de leite de amendoas e uma taça pequena de gelatina sem açúcar já feita. Bate tudo no liquidificador potencia máxima durante uns minutos.

- Deita a espuma numa taça, cobre com granola e framboesas. Podes juntar amendoas com pele cortadas às lascas e raspa de chocolate com cacau a 85%


BOM APETITE!

INSPIRATION: DINNER TIME




Tal como prometi aqui fica a receita do meu jantar de hoje:

Salmão com espinafre

- Refoga-se o espinafre com azeite, cebola, alho, sal e pimenta preta em pó;
- Num prato colocam-se as tostas integrais barradas com creme de queijo fresco com ervas;
-Por cima das tostas barradas coloca-se rodelas de ovo cozido e salmão fumado;
- Enfeita-se o prato com montinhos de espinafre previamente refogado em azeite e uvas;
- Polvilha-se o prato com pimenta de 3 cores e sementes de chia.

Não leva mais de 15 minutos e é delicioso.
Não percam a sobremesa de framboesas já a seguir.

BOM APETITE!

Thursday, April 17, 2014

INSPIRATION: YOU ARE WHAT YOU EAT - A PERSONAL EXPERIENCE.





Há quem ande a estranhar os meus posts sobre comida no facebook, devidamente acompanhados pelas imagens que faço aos pratos que vou cozinhando ao longo da semana. De facto, nunca fui uma pessoa que fizesse da cozinha um hobby, muito pelo contrário, para mim a cozinha sempre foi uma divisão a evitar por períodos mais longos que 15 minutos. O problema é que esta atitude de comer snacks a toda a hora, assim como, comida semi pronta, daquela que basta juntar água ou descongelar e cozinhar, andava-me a fazer sentir um balão de ar ambulante, para além de estar a engordar grama ali, grama aqui que parece que se não nota nada, mas, depois de uns 5 anos podem querer dizer mais 10 quilos.




Por isso, num dia em que estava vazia de ideias e desmotivada, resolvi mudar a forma como comia. Já passaram cerca de 3 semanas desde esse dia fatídico em que me obrigo a passar cerca de 1 hora por dia na cozinha e a mudar as coordenadas de busca nos supermercados. Passei dos enlatados, congelados pré-cozinhados e coisas que sabem bem de pacote para a secção das frutas e legumes, áreas de comida dietética e bio-qualquer-coisa, tudo coisas cruas e outras a precisarem de ser cozinhadas para mal dos meus pecados.




Para já posso dizer-vos que estou bastante surpreendida com os resultados e que a máxima “Somos o que comemos” é mesmo verdade. Passei a fazer saladas variadas (vocês nem imaginam a quantidade de frutas e vegetais que existem na internet e que desconhecia completamente a existência!!!) ao almoço,  para levar para o escritório, assim como, sumos e smoothies ao pequeno-almoço e lanches cheios de superalimentos ( goji, sementes de chia, de girassol, de abóbora, proteína de cânhamo, spirulina, maca etc. etc.) com  frutas e vegetais  e ao jantar há sempre uma sopa fresca com leguminosas e sem batata. Bani o leite (e a soja),do cardápio e substitui-o por iogurte natural, leite de aveia, de arroz, de amêndoas e água de coco. Pão e amidos (batata, massas…) só de vez em quando, exceto arroz (duas ou 3 colheres de sopa) e só ao almoço. Introduzi o cacau em pó e o açúcar de coco para adoçar e o chocolate preto com teor mínimo de cacau de 85% (mas, só um ou dois quadradinhos), tais como as amêndoas com casca e a noz de caju sem sal e sementes de abóbora para snacks ao longo do dia (não mais de 12 unidades/dia) ou quando preciso de shots de energia.



 
 
 
Descobri, igualmente, que posso usar a minha imaginação e criatividade na cozinha (sim sei que isto é básico, mas, ainda não o tinha sentido como tal, uma vez que a cozinha para mim  era sinónimo de antecâmara de dor e sacrifício) e comecei a criar receitas originais de saladas supernutritivas e sopas com ingredientes inusitados a substituir os tradicionais batata-cenoura. O passo seguinte foi caprichar na apresentação dos pratos para estimular as papilas gustativas que descobri estarem diretamente ligadas ao que os olhos vêm mais do que ao paladar. E como queria fotografar este meu projeto, aliei o útil ao agradável, se tinha que fotografar os pratos era bom que fossem bonitos e apetitosos.
 
 
 

Ao fim destas 3 semanas sinto mudanças radicais no meu aspeto (pele , cabelos…) e na minha cintura que deixou de albergar balões na barriga para passar a ficar lisa e sem aquela sensação de falsa grávida de 6 meses ao final da tarde. O trânsito intestinal regularizou pela 1ª vez na minha vida sem ter que tomar laxantes (nos quais estava a ficar viciada) e como me obrigo a beber 2 litros de água/chá por dia, sinto-me mais hidratada e sem fome nenhuma, pois, muitas vezes o impulso para ir petiscar qualquer coisa, devia-se a sede encapotada de fome (ás vezes o cérebro confunde as duas necessidades). Reduzi o meu colesterol mau e pela primeira vez em anos atingi valores perto do normal. No caminho perdi 2,5 quilos de gordura e aumentei a minha massa magra sem fazer qualquer exercício que não seja subir escadas a pé e caminhar à hora do almoço ( e ok, passear os cães de vez em quando).   


Como quero contar-vos aqui este meu projeto vou publicando no blog, em rubricas especiais, as minhas experiências culinárias, partilhando descobertas de mistura de sabores improváveis (sabiam que salada de ananas ou uvas ou romã com o salmão fumado são a oitava maravilha dos sabores?). Aviso desde já que isto não é um projeto para emagrecer, nem eu sou nutricionista, pelo que não garanto resultados a ninguém. Limito-me a investigar sobre alimentação saudável e sobretudo conselhos de coaches em nutrição ou nutrição funcional (sim isso existe) que são nutricionistas direcionados para implementar estilos de vida mais saudáveis nas pessoas. Por isso se tiver algum problema de saúde ou estiver grávida não siga a minha experiência, ok?  

 


Nestas coisas o que custa é começar, por isso preparei um começo em grande e para tal contei com a ajuda do Liquid da Merendinha no Chiado com os seus programas de detox personalizados. Assim, numa segunda –feira iniciei um dos programas do Liquid e passei três dias a sumos e smoothies híper-nutritivos. Foi este o meu motor de arranque, mas, cada um achará aquele que mais resulta consigo. Por mim, continuarei a partilhar as minhas receitas criativas aqui. Estão todos convidados, é claro.

 
 



    

Wednesday, April 16, 2014

INSPIRATION: WILL BE THE INTERNET A NEW RELIGION?


 
 
Penso no mundo pré-internet enquanto vou ao Google e digito umas palavras ao acaso sem sentido aparente para descobrir que afinal há alguém ou alguma coisa com esse nome. Teclo palavras com prováveis erros ortográficos (mesmo em inglês) e elas passam a fazer todo o sentido como, por exemplo, “deejay meme” (a escolha foi completamente aleatória) e fico a saber que isso existe. Aquela máxima de que já tudo foi inventado ganha um novo sentido através da internet. Para o bem e para o mal, em nome da sabedoria e da ignorância e daqueles que de tão ignorantes se julgam sábios, a internet é a nova religião, com biliões de seguidores cheios de fé naquilo que Ela diz sem ter que provar absolutamente nada.
Se não está na net não existe, esta crença é tão válida para pessoas como para animais e coisas. "Não tens perfil no Facebook!!!!", sendo que olhamos para a pessoa em causa e vemos logo ali uma espécie de  apócrifo social .  Nunca depois da invenção de Deus, houve algo assim – uma espécie de entidade superior que não se vê, nem se sabe donde vem e que quando vem está em toda a parte (na piscina do vizinho bom como o milho e no horror da guerra do Darfur). Para além disso, reproduz-se com a força de um vírus fatal e até nas coisas mais incríveis que Ela diz, todos acreditam. "Está na net" e é como se fosse uma oração moderna com letra dos Artic Monkeys. As novas igrejas são as redes sociais e o Twitter, uma espécie contemporânea de confessionário que nos faz a todos um pouco de sacerdotes em busca de uma missão – salvar e/ou enterrar o próximo.

Como em todas as novas religiões, a internet fabrica os seus mártires, os seus adictos, os seus fundamentalistas… e os seus ‘velhos do Restelo’ privados que contra ela discursam. Estes páridas tecnológicos, à semelhança dos antigos profetas,  não se cansam  de pregar a maldição para os jovens e mais incautos que  ingenuamente caem na Rede dos seus mistérios. De como a net fomenta a intriga social, e consequentemente, a cobiça (da mulher do próximo e dos bens do próximo), a inveja e outros pecados mortais que sempre existiram desde que o homem se endireitou e passou a poder espreitar por entre os arbustos. Só que agora espreita para sofisticados écrans. Não nos esqueçamos de que a única coisa que mudou foi a forma de transmissão da intrincada novela que é a vida real , pois, o conteúdo e intenção permanecem exatamente os mesmos. Por exemplo, a sms (para os apressados) ou emails (para os que têm o dom da palavra escrita) substituiu o post-it físico para acabar relações ou pedir o divórcio. Quem não se lembra do episódio de "O Sexo e a Cidade" em que o namorado da Carrie acabou com ela através de um simplório post-it? E posso garantir-vos que não é tão traumatizante ler uma mensagem num tablet “ Não aguento mais. Quero o divórcio” do que num post-it amarelo com a puta da caligrafia do ex-qualquer-coisa espetada na cabeceira da cama, com a mesma vulgaridade com que diz “ Querida, os meus Chocapics acabaram”.

Se pensam que os jovens têm a vida facilitada porque têm acesso desde o berço a esta nova espécie de religião que religa todos- a- todos- e- tudo- a- todos- e- todos- a- tudo, estão bem enganados. Pensem em todas as figuras ridículas que fizeram no Secundário, as fatiotas ultrajantes que as nossas mães nos obrigaram a vestir nas cerimónias familiares, aquelas fotografias horríveis de adolescentes desengonçados com os primos igualmente sofredores dessa doença que é a adolescência que estica as pernas até ao infinito, nos encurva o esqueleto e nos decora a cara com crateras do tamanho do Açores? Até à existência da internet, quanto muito esses testemunhos do ridículo só existiam nos álbuns de fotografias, em casa de pais e avós  que nos apressávamos a esconder no fundo da gaveta quando se levava a/o namorada/o lá a casa. Hoje, está tudo às claras e PARA SEMPRE. Pior, são os próprios pais que fazem questão de com orgulho documentar para a posteridade a fenomenal birra  dos rebentos ou os erros crassos na redação escolar, muito pouco abonatórias para os mesmos. Ali está exposta a nossa merda toda, em triliões de posts, devidamente acompanhados de fotos e videos e que podem envolver mais tarde muita psicoterapia.      

A internet não é o bicho papão que alguns proclamam e de nada serve as proibições de acesso que recentemente o governo, de forma inteligente e esclarecida, tomou relativamente aos computadores das escolas públicas. O Ministério da Educação faz muito bem em proteger os miúdos, profs e funcionários, não deixando que na escola laica se pratique qualquer tipo de religião. O governo francês também tentou algo assim com as práticas muçulmanas, e acho que não correu muito bem. Por outro lado, o governo português mostra que está muito à frente, ao considerar as redes sociais uma espécie de Igreja dos novos tempos. Ninguém se lembraria, por exemplo, de alugar o anfiteatro das escolas aos Manás?! Acho bem que se proiba, na escola, o acesso ao confessionário Twitter, onde os alunos se poderiam confessar atraídos pelo decote da professora de fisico-quimica, acompanhada da respetiva foto. Lá teria que ir o diretor para penalizar os alunos com a reza em voz alta da tabela periódica 50 vezes. Uma chatice, contudo, evitada se se proibisse as professoras de usarem tops demasiado decotados em vez do acesso à internet, não acham? Claro que este seria mais um pretexto para outra manifestação do sindicato dos professores com criativos cartazes a gritarem em plena rua "Mais fascismo não" devidamente ilustrados com o decote da vítima.

 
 Uma verdadeira intrusão ilegal na soberana liberdade de vestir das professoras, diriam os dirigentes sindicalistas nas redes sociais. Mas, que ninguém leria porque o acesso está interdito em toda a rede escolar e os professores em casa não têm tempo de ir à net, ocupados em corrigir testes e trabalhos. Se há que sacrificar alguma coisa que seja pois a liberdade de expressão! 

Voltando ao que aqui me levou a escrever esta panóplia de questões levantadas pela polémica invenção da internet, experimentem googlar qualquer disparate e vão ver que ele existe, algures, legitimado e carimbado pela wikipéia – esse antro fazedor de sábios ignorantes. Vão ao Twitter e inteirem-se das últimas confissões da Miley Cyrus e -  maravilha das maravilhas só permitida pela existência de internet - se escreverem mal o nome da dita e googlarem “Mirey Circus”, inteligentemente, a net irá corrigir o vosso erro para o nome correto. Digam lá se isso não é incrível? Certamente, a cura imediata para os disléxicos crónicos e ignorantes profundos através de um simples ENTER. É ou não é um milagre autêntico digno de uma verdadeira religião? Amen!