Tuesday, July 5, 2011

WHO THE HELL IS (THE MAN BEHIND) THE LISBON TAILOR?


Photo via http://www.lifebehavior.net/ 
 Portuguese people who are attentive about what is happening in the blogsphere, certainly, have heard about the street style blog ALFAITE LISBOETA/ THE LISBON TAILOR, because it is one of the most famous portuguese blogs which show us the personal style of dudes and chicks, mainly Portuguese from Lisbon or that passed by Lisbon. If the idea is not original, and The Sartorialist is the great reference in that theme, the LISBON TAILOR adds something new to what already exists: despite the photos are about stylish people who have a great personal style in somewhat different from the ordinary mortals, José Cabral has the great intuition and talent to catch the best ( or can I say the soul? The immaterial "thing" that goes behind the look!)  ) of the people he shot. There's always a kind of lightness in his shoots that make the person he photographed more what he/she truly is. There's a honesty and singleness that I couldn't find in other blogs of the kind. But... 
Who the hell is the man behind The Lisbon Tailor?
To answer that question and to kill my curiosity I adapted a Proust Questionaire and put it in a form of "nagging" questions to my favorite portuguese blogger.

Os portugueses mais atentos ao que se passa na blogsfera, certamente, já ouviram falar do blog the street style ALFAITE LISBOETA, mais que não seja porque é um dos mais famosos blogs portugueses que nos dá a ver o estilo único dos lisboetas (e não só), ou de quem passa pela capital. Se a ideia não é original, a grande referencia é, pois, The Sartorialist, o certo é que o Alfaite Lisboeta acrescenta algo de novo ao que já existe. Apesar de retratar gente estilosa que de alguma maneira consegue ser diferente da maioria dos mortais, as fotografias de José Cabral vão mais além... ele tem a grande intuição e o talento de captar o que de melhor (ou posso dizer a alma, esse "algo" imaterial que vai para além da aparência!) das pessoas que fotografa. Há uma leveza iluminada e genuina nos seus shootings que mostram a pessoa como ela é, com a honestidade e singeleza que não se encontram em outros trabalhos do género. Mas...
Quem diabo é o gajo por detrás d'O Alfaite Lisboeta? Eis a questão?
Assim, para matar a curiosidade adaptei um Questionário de Proust e coloquei as perguntas incómodas ao meu blogger português preferido.


Photo via http://estado-darte.blogspot.com/

What is your present state of mind?

Qual é o teu estado de espírito agora?

Now I am taking some days off in one of my favorite cities. Couldn’t be better than that!

Neste preciso momento estou a passar uns dias de férias numa das minhas cidades de eleição. Não podia ser melhor.




What do you regard as the lowest depth of misery?
O que é que vês como o mais profundo estado de miséria?

Before a question like this I could think in a thousand different images without any connection between them. But I think this “lowest depth of misery” is always connected, in an unavoidable way, to inhumanity. In some way linked to insolence and absolute lack of concern about the human condition.

Acho que perante uma pergunta dessas nos podem passar 1000 imagens diferentes e sem aparente ligação entre si. Em todo o caso acho que esse “mais profundo estado de miséria” estará sempre associado de uma forma incontornável de falta de humanidade. Alguma forma de desrespeito ou despreocupação absoluta pela condição humana.

What is it you most dislike nowadays?
O que é que mais detestas no mundo actual?

I haven’t a clue! I suppose there are many things that I dislike (less than things which I like, I hope!). But it occurs to me the cynicism. The world and society in general (not only the Western ones) moved more and more over transparent and genuine processes, but in general I think that cynicism is out there. The mental judgments that in our social life we make about others, the statements that we made about what someone is doing ... that's what we faced at the Media today.

Não faço ideia. Suponho que haja muitas coisas que me desagradam em particular (menos do que aquelas que me agradam espero). Mas ocorre-me o cinismo. O mundo e as sociedades em geral (não só as ocidentais) movem-se cada vez mais por processos mais transparentes e genuínos mas, de uma forma geral, acho que ainda existe muito cinismo. Os juízos que, na reprodução da nossa vida social, fazemos sobre terceiros, as considerações que tecemos sobre o que faz este ou aquele... A face da comunicação social é uma imagem disso mesmo.


Photo via http://www.lifebehavior.net/
 Where would you like to live?
Onde é que gostarias de viver?

I’d like to spend some time in Madrid.

Gostava de passar uma temporada em Madrid.

What is your idea of earthly happiness?

Qual a tua ideia de felicidade?

I think that idea – besides some temporal gaps – is related, in some way, with a married and familiar conception of life.

Acho que essa ideia – salvo hiatos temporais aqui e ali – passará sempre, de uma forma mais ou menos incontornável, por uma concepção conjugal e familiar da vida.

Who are your favorite heroes of fiction?
Quais são os teus heróis de ficção favoritos?

I am not a myth and hero’s person, so I only can answer to that question based on children’s imaginary. I loved the Indiana Jones. Today I can recognized, among other things, the charm of being a character connected with academic life, but, simultaneously, with other face where adventure and bravery were always there in every moment.

Nunca fui muito de criar grandes heróis e mitos por isso acho que só consigo responder a essa pergunta com base em imaginários infantis. Adorava o Indiana Jones. Hoje consigo reconhecer-lhe, entre outras coisas, o charme de ser uma personagem ligada à vida académica mas, simultaneamente, com uma outra face onde a aventura e a valentia estão presentes a todo o momento.


Photo by The Lisbon tailor

 What natural gift would you most like to possess?
Qual o dom natural que mais gostarias de possuir?

There is an endless number of attributes which I would like to have in a higher dosage that I really have.

Há um número infindável de atributos que gostaria de ter em maior dose do que tenho realmente.

What was the best invention ever?
Qual a maior invenção de todos os tempos?

I have no idea! I think I could tell you about many amazing inventions. I can’t choose only one (I suppose you would like spontaneous answers and that’s mine!)

Não faço ideia. Acho que te podia recitar inúmeras. Não consigo escolher uma (suponho que procures resposta espontâneas, esta é a minha).





Who are your favorite characters in history?
Qual é a tua personagem histórica favorita?

Jesus Christ.
Jesus Cristo


Who are your favorite heroines in real life?
Quem são as tuas heroínas favoritas na vida real?

Heroine is a very strong term. I haven’t any in particular. If you had asked me that question in male terms my answer will be the same.

Heroína é um termo muito forte. Não tenho nenhuma em particular. Se me tivesses colocado a pergunta no masculino ter-te-ia dito a mesmíssima coisa.


Photo by  The Lisbon Tailor
 Your favorite photographer?
E o teu fotógrafo favorito?

I don’t consider myself as a photographer, and I don’t realize myself with someone who knows a lot about photography, and because so I'm not a person who have this or that photographic references. I started shooting because I met a lot of bloggers that did the same things which I proposed to do about two years ago. Among all these blogs the one that captivated my attention was The Sartorialist. So my answer couldn’t be different than Scott Schuman.

Não só não me considero um fotógrafo como não me vejo sequer como alguém que entende a fotografia e, como tal, possui estas ou aquelas referências. Eu comecei a fotografar porque me foram apresentados um leque enorme de bloggers que fazem, genericamente falando, a mesma coisa que eu me propus a fazer há dois anos e meio. De todos esses blogues o que mais me cativou foi o The Sartorialist. Posto isto acho que não te poderia dar outra resposta que não o Scott Schuman.



The quality you most admire in a man?
Qual a qualidade que mais admiras num homem?

The rectitude.
A rectidão.


Photo from The Lisbon Tailor
 The quality you most admire in a woman?
E numa mulher?

In the male example I can easily avoid an aesthetic vision about what is an idea of a man who I could admire the most. In what a woman is concern I can’t avoid my own conception of femininity. And for me femininity is a (perhaps chimerical) idea about a perfect dosage of some attributes that catch me: elegance, intelligence, gentleness, willpower, and wit, among others.

No exemplo masculino consigo, mais facilmente, evitar uma visão esteta sobre aquilo que é a minha concepção de um homem que eu admire. No que à mulher diz respeito acabo por não conseguir (a não ser que a muito custo e não me apetece e não creio que pretendas que o faça) fugir uma concepção muito particular sobre um atributo – a feminilidade. E a feminilidade para mim é uma dosagem perfeita (e, necessariamente quimérica) de meias dúzia de atributos que me cativam em particular: a elegância, e inteligência, a ternura, a força de vontade, a espirituosidade, entre outros.




Photo by The Lisbon Taylor
 What do you love the most?
O que é que te apaixona?

The human experience.
As experiências humanas

Who would you have liked to be?
O que é que gostarias de ser?

I would like to be a guy who could work in what I love the most, and that work will allow me to have a good life without great mental arithmetic.

Um gajo que trabalhasse naquilo que mais gostasse e que, de preferência, isso me permitisse viver sem ter que fazer grandes contas de cabeça.

Formulate a dream you would like to come true. Enuncia um sonho que gostarias que se tornasse realidade.

I’m in a middle of something… a specific project that I would like it will come to day light. But just for that – in a common sense basis (laughs) – I keep it for myself.

Ocorre-me de imediato um projecto concreto e actual que eu gostaria muito que se concretizasse. Mas precisamente por isso – e não me refiro a maus-olhados mas ao mais elementar bom senso (risos) – guardo-o para mim.

What is your motto?
Qual é o teu lema de vida?

I haven’t any. Maybe I should... half-dozen of them. I am so disorganized! In some way something (a motto, basic principles, commandments... whatever it was) that could help me to mark out my path, perhaps it could bring me good things.

Não tenho nenhum. Se calhar devia ter. Meia dúzia deles talvez. Sou muito desorganizado. O que quer que (lema, princípios basilares, mandamentos ou o que quer que fosse), de vez em quando, me pudesse ajudar a balizar o meu caminho só me poderia trazer boas coisas.


Photo by The Lisbon Tailor
Enounce a question that wasn’t never ask you and you would like to?
Uma pergunta que nunca te tenham feito e que gostarias de responder?

I never did that exercise (somewhat over self, isn’t it?). A question we would like to answer is a question connected always with areas that we have more control and we know better. These themes which we can amaze and impress the audience. It’s for sure a problem that I can find in me: there isn’t any theme about what I could be proud to know a lot of it.

Nunca fiz esse exercício (um tanto ou quanto egótico não?). Uma pergunta à qual gostaríamos de responder é uma pergunta que nos remeterá sempre, necessariamente, para aquilo que mais e melhor dominamos. Para os temas sobre os quais mais poderemos surpreender e impressionar os demais. Na verdade esse é um problema que encontro em mim. Não existe nenhuma temática sobre a qual me possa orgulhar de saber muito.

THE LISBON TAILOR/O ALFAIATE LISBOETA HERE
ON THE FACEBOOK HERE

2 comments: